Um engano impossível

Dizemos que somos meros amigos
mas quando em meu pensamento te vejo surgir
repentinamente, durante meu dia
(por mais que alegria) um grande sorriso surge em mim

não é qualquer grande sorriso
é um daqueles que tocam a alma
que extinguem dor, tristeza e preocupação
e por uma certa convicção, nos acalmam

pela certeza sublime
de que amamos alguém
e que aconteça o que acontecer
este amor nos acompanhará até nosso requiém

ali sabemos que temos o tudo
e que ao nada jamais acabaremos
que nada mais nos interessa no mundo
e que juntos essa jornada enfrentaremos

Estou tentando me enganar?
convencer a mim mesmo de que
contigo não quero me casar
e a eternidade não passar com você?

Estou a rir
um sorriso desses que mencionei
oh Deus, que bom és Tu!
obrigado por todo este pouco que sei!

Os espinhos de um sonho

Hoje sonhei com sua face
seus olhos fechados diante dos meus
no êxtase do beijo mais esperado da vida

não haveria tempo que eu não esperasse
sabendo que estava nos desígnios de Deus
a sua chegada e a sua eterna estadia

é como se meu passado me preparasse
para enxergar a beleza dos traços seus
e para realizar toda sua desejada alegria

Escrevo estes versos para a eternidade,
para que viva no âmago desse pecador que sou eu
o beijo da mulher que é desde sempre a mais linda

Como você ama?

Comecei este texto dando-lhe o título “Como ter a pessoa amada em uma semana?”, para expressar de imediato a ideia do que pretendia escrever, ainda que quisesse me referir à uma outra coisa, uma que estamos acostumados a ver, ou mesmo a viver: o fato de ao gostarmos, de estarmos apaixonados por alguém, chamar este sentimento de amor, ao mesmo tempo em que nos sentimos desesperados em termos aquela pessoa dentro do menor espaço de tempo possível… Por fim, quis mudar o título, mas preservei o restante do texto.

Um anúncio que diz “Como ter a pessoa amada em uma semana?”, tem três pontos chaves, a saber, “o que é o amor?”, “por que ter uma pessoa?”, e “por que de forma tão imediada?”.

Ao tratarmos de uma pessoa por nós amada, estamos dizendo que sentimos amor por alguém, e portanto que sabemos o que é. Em primeiro lugar, precisamos nos certificar de que é realmente isso – então, o que é o amor? Amor é um sentimento ou um ato, ou ambos? Creio que o amor é um sentimento definitivo, é o sentimento de bem querer que evoluiu, é o status mais elevado do desejo de bem ao outro, é algo que ou terminava em nada ou se tornava a única coisa verdadeira.

Quem sente amor se satisfaz ao proporcionar o bem a outra pessoa, e nem tanto em receber algo em troca. Quem sente amor não consegue se aquietar, ser indiferente, deixar de desejar o bem e querer contribuir incessantemente para que a outra pessoa esteja bem, fazendo para isso não as coisas vãs como os meramente apaixonados o fazem, mas sim coisas essenciais como querer saber sobre a vida, a fase atual, os planos, as visões de mundo, a família, os relacionamentos, a saúde, as tristezas, as alegrias, as preferências, simplesmente tudo o que a compõe o outro, para assim realmente conhecê-la e poder contribuir com ela nessa fugaz, e incerta vida sobre a Terra. O amor está nos pequenos e nos grandes atos, não só em um dos dois, isso porque busca estar em tudo e estar da melhor maneira que este que ama pode se expressar.

Veja, onde é que estamos buscando alguma reciprocidade, alguma realização, alguma satisfação, etc.? Vendo dessa forma parece que o amor de um casal de esposos não pode ser definido como esse amor que descrevi, mas percebam, o casal que se ama tem as duas partes se entregando ao outro simultaneamente; não há cobrança, somente entrega, e nesse momento ambos estão recebendo mesmo querendo apenas se dar, e ao mesmo tempo estão se dando como sempre quiseram.

Se não é esse o sentimento que você tem para outra pessoa, não é amor o que você sente, e sendo assim, você não deveria querer que a outra pessoa se entregasse à alguém como você, mas sim à alguém que a ame de verdade. Mas como não é amor, você não pode deixar de ser egoísta e então desejar isso à ela, não é mesmo?

A questão de ter a outra pessoa, está respondida nos parágrafos acima, pois foi dito como age a pessoa que ama a outra e a tem numa relação conjugal. Aquela é a única maneira de se ter na forma que o amor demanda. E mesmo que não se tenha numa relação conjugal a pessoa que amamos verdadeiramente neste sentido, podemos e devemos ter a consciência de que não temos que ceifar, ou mesmo buscar esquecer, o amor que sentimos, ainda que sabendo que ele irá existir para sempre, bem como não devemos alimentar esse amor, devemos apenas sentir sua existência dentro de nós e nos regozijarmos por isso, pois saiba que não é tão comum amar um outro ser humano.

No que concerne ao desejo de termos em nossas vidas, o quanto antes, a pessoa que amamos, também está dito nos parágrafos anteriores, mas de forma menos explícita. Veja, somos seres compostos de uma alma que é eterna, portanto iremos viver para sempre, e o amor verdadeiro jamais deixará de existir, mesmo se errarmos e tentarmos apagá-lo da nossa memória. Os olhos que foram capazes de ver a outra pessoa em sua forma mais bela, terão esta capacidade para todo o sempre. Quando um amor nasce, ele ganha existência eterna, então onde está o sentido de nos desesperarmos para ter a outra pessoa em nossas vidas? Claramente esse desejo não se encaixa com o amor que descrevi no decorrer desse texto. Para responder a essa questão, devemos nos lembrar do que é o amor e como ele se manifesta independentemente da proximidade das duas pessoas: o amor é entrega, e não recebimento. O que pode ocorrer, é não termos a oportunidade de nos entregarmos, de expressarmos o amor como tanto queremos. Em tais circunstâncias nos resta lembrar de que já foi um grande presente de Deus, o fato Dele ter colocado em nossa vida uma pessoa digna do nosso mais elevado sentimento, e além disso, nos lembrarmos de que não podermos expressar esse sentimento é apenas um embaraço dentre os muitos que estão inseridos nessa nossa fase de vida, a Terrena.

Uma grande oportunidade nos resta: a oração. Ao orarmos pela outra pessoa, estamos contribuindo para sua salvação. E lá, junto de Deus, todos seremos apenas um, em eterna comunhão com Ele.